HISTÓRIA DA COMMETRIM

Categoria: Uncategorised
Publicado em Segunda, 23 Março 2015 22:09
Escrito por Pontal Espírita
Acessos: 1532

 

            Sob os auspícios dos Conselhos Regionais Espíritas: Alto Paranaíba, Norte, Pontal e Sul do Triângulo Mineiro, surgiu e realiza-se desde 1964, a COMMETRIM – Confraternização de Mocidades e Madurezas Espíritas do Triângulo Mineiro.

            Desde a primeira Confraternização a União Espírita Mineira está ao nosso lado, trazendo seu apoio, sua experiência, realizando conosco esse movimento de luz.

            As Confraternizações, segundo as palavras de Francisco Cândido Xavier, em entrevista concedida aos organizadores da VIII COMMETRIM, “resultam de inspiração de benfeitores espirituais que se empenham fazendo a nossa união uns com os outros, através da palavra, da troca de experiências para que nós possamos localizar a nossa tarefa dentro do movimento espírita”. Ainda, segundo expressões luminosas de Chico Xavier; “Os nossos amigos espirituais dão extraordinário relevo a esses movimentos e esperam que nós todos, os companheiros do Espiritismo, venhamos a encorajá-los por todos os modos que surjam dentro das nossas possibilidades, de vez que é pela reciprocidade, na permuta de nossas experiências, que chegaremos a conclusões e a realizações do mais alto interesse para o movimento espírita agora e no futuro”.

            A COMMETRIM surgiu, assim, nos Planos Mais Altos. Entre nós, contudo, começou sua trajetória em Ituiutaba, nos idos de 1964, quando se comemorava o primeiro centenário de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”.

            Hoje, quase cinco lustros passados, o movimento revela sua eficácia, esparzindo luzes, clareando caminhos, difundindo O Evangelho.

 

 

Ensaio sobre origem e trajetória da COMMETRIM

 

            Em meados de 1963 um grupo de jovens de Uberlândia, reunidos na Mocidade Espírita Allan Kardec, do Centro Espírita Fé e Amor, visitava outro grupo de jovens, reunidos da União da Mocidade Espírita de Ituiutaba, que realizava suas reuniões nas dependências do Centro Espírita Amor Fraterno.

            No início do ano seguinte, a visita foi retribuída, indo os jovens de Ituiutaba visitar a mocidade Espírita Allan Kardec de Uberlândia.

            Os jovens de Uberlândia eram liderados por Argemiro Evangelista Ferreira, enquanto a caravana de Ituiutaba era liderada por Bolivar Gomes Campos.

            Um clima de entusiasmo pelo estudo e trabalho na seara espírita tomou conta de todos, durante os dois encontros. Foi sugerida, então, por Argemiro, a ideia de criar uma confraternização de mocidades espíritas do Triângulo Mineiro, patrocinada pelos órgãos unificadores da aludida região de Minas Gerais.

            A ideia tomou corpo e a primeira providência foi consultar a opinião dos confrades de Uberaba, já que, na organização do sistema de unificação, o Triângulo Mineiro foi dividido em duas regiões: a do Conselho Regional Espírita Zona Norte, sediado em Uberlândia, e a do Conselho Regional Espírita Zona Sul, sediada em Uberaba.

            As mocidades espíritas e o órgão unificador de Uberaba, liderados então por Jarbas Leone Varanda e Antonio Fonseca de Abreu, manifestaram seu integral apoio à iniciativa e, em conseqüência disso, foi marcada uma reunião para a cidade de Uberlândia.

            A referida reunião foi realizada nos primeiros meses de 1964, no pátio interno do Hotel Zardo, em virtude da presença ali, como um dos diretores da casa, do companheiro de ideal Gladston Rodrigues da Cunha. À reunião estiveram presentes entre outros: Argemiro Evangelista Ferreira, Zenon Vilela de Andrade, Clóvis César, de Uberlândia; Jarbas Leone Varanda, Rivail Araújo e Antonio Fonseca de Abreu, de Uberaba; Urbano Teodoro Vieira e Ondina Moutinho Vieira, de Araguari; Bolivar Gomes Campos, Geni Gonçalves Campos, Ramiro Ferreira de Morais, João Tiburcio Nogueira de Manoel Tiburcio Nogueira, de Ituiutaba.

            Nessa reunião, uma vez feita a prece inicial, foi lida a mensagem “Aos companheiros de Ideal”, de Eurípedes Barsanulfo, psicografada por Francisco Cândido Xavier, em que a iluminada entidade espiritual dirige-se aos “queridos amigos do Triângulo Mineiro”, enfatizando:

            - A nossa marcha continua e, como sempre, irmãos meus, confirmo a promessa de seguir convosco até a suprema vitória espiritual.

            Programou-se, dali, a primeira reunião prévia do novo movimento de Mocidades Espíritas do Triângulo Mineiro, ficando assinalada a data de 26 de julho de 1964, em Ituiutaba, para o aludido evento.

            E, realmente, na data aprazada reuniu-se em Ituiutaba, no recinto do Educandário Ituiutabano, “um grupo de jovens representantes de órgãos juvenis espíritas, supervisionados por membros de órgãos regionais, quais sejam: Alianças Municipais Espíritas de Uberaba, Uberlândia e outras cidades da região”.

            “O objetivo principal da referida reunião prévia seria a aprovação do regulamento da referida Confraternização de Mocidades Espíritas do Triângulo Mineiro”.

            Estiveram presentes à primeira prévia os seguintes órgãos juvenis: Departamento de Mocidades da AME de Uberaba, na pessoa do Jovem Rivail Araújo; Departamento de Mocidades da AME de Uberlândia, na pessoa de Abigail Arantes; Mocidade Espírita Allan Kardec, de Uberlândia, na pessoa de Ivone de Souza; Mocidade Espírita Jesus de Nazaré, de Uberlândia, na pessoa de Alcione Arantes; Mocidade Espírita Amor, Trabalho e Luz, de Uberlândia, na pessoa de Isabel Gervásio de Faria; Mocidade Espírita Eurípedes Barsanulfo, de Uberlândia, na pessoa de João Batista Mendonça; Mocidade Espírita André Luiz, de Uberlândia, na pessoa do jovem Valdemar Paulino; União da Mocidade Espírita de Ituiutaba, na pessoa de Bolivar Gomes Campos, e ainda, a Fraternidade Espírita Cristã, de Ituiutaba, na pessoa de Edemerval Vieira Borges.

            A reunião foi presidida por Antônio Fonseca de Abreu, de Uberaba, que, de início e após a prece inicial, por Edemerval Vieira Borges, pediu a Argemiro Evangelista Ferreira que fizesse um esclarecimento sobre os motivos daquela reunião a todos os presentes. Argemiro justificou, dizendo, entre outras coisas, que “destes movimentos nascem as organizações mais eficazes para as concentrações estaduais e nacionais. Deixou claro o motivo da maior eficácia nos movimentos concentracionistas regionais: a facilidade de deslocamento de jovens das pequenas cidades, facilidade esta não existente em se tratando de um movimento estadual ou federal. Disse não pretender a Confraternização Triangulina ser um modelo para outras concentrações, mas que tudo faríamos para suprir as deficiências existentes naquelas, através de um trabalho de união, não deixando pesar a organização somente nos ombros a cidade sede, mas sim, fazer com que sejam repartidas, proporcionalmente a todas as cidades participantes as obrigações”.

            Foi, em seguida, dado a palavra ao Confrade Jarbas Leone Varanda, de Uberaba, para dirigir os debates em torno da aprovação do regulamento do movimento concentracionista. “Usando a palavra, Jarbas sugeriu adotássemos a sigla COMETRIM, para representar o nome Confraternização de Mocidades Espíritas do Triângulo Mineiro”, proposição que foi aprovada por unanimidade.

            A primeira reunião, acima relatada, teve início às 9h. Uma segunda reunião teve início às 13h para a discussão e aprovação do regulamento da COMETRIM.

            Após a aprovação do regulamento, uma vez já estabelecidos, desde a reunião preliminar em Uberlândia, o local e datas de realização do movimento, que seria 31 de outubro, 1 e 2 de novembro, em Ituiutaba, passou-se à escolha da data e cidade sede da segunda reunião prévia e escolha da primeira Diretoria Executiva. A cidade sede da segunda reunião prévia foi Araguari. A Diretoria Executiva ficou assim constituída:

Presidente: Argemiro Evangelista Ferreira, de Uberlândia, Vice-Presidente: Maria Imaculada da Conceição, de Ituiutaba; Secretário: Manoel Tiburcio Nogueira, de Ituiutaba; Tesoureiro: Juarez Alves Muniz, de Ituiutaba.